Zedu Lima - Surfando na onda dos anos 80

Depois de quatro livros de crônicas e contos, Zedu Lima, jornalista por formação e profissão, se revela um poeta com este “Nó Na Garganta”. São 42 poemas escritos nesses dois anos de pandemia do coronavírus.

Ele mesmo se surpreendeu quando, de repente, começou a enveredar pelas delicadas e intrincadas teias de rimas e métricas da poesia. Como ele mesmo confessa: “Parecia que uma entidade baixava em mim e me fazia criar uma poesia por semana”.

A princípio, não levou a sério. Acreditou tratar-se de um diletantismo. No máximo para guardar de recordação. Só levou a sério quando ouviu seus poemas nas vozes de amigos, que se encantaram com os versos e as imagens estampadas.

Antes de abraçar a profissão de jornalista e, posteriormente, a de escritor, Zedu Lima se aventurou pela arte cênica. Nos anos de 1969 a 1971, participou como ator da peça “O Balcão”, produzida por Ruth Escobar, baseada no texto do francês Jean Genet e dirigida pelo argentino Victor Garcia. É até hoje referenciado como o mais arrebatador espetáculo teatral brasileiro, como atesta o crítico teatral Jefferson Del Rios: “O Balcão de Garcia (do qual só conhecemos trechos, graças a um filme documentário rudimentar), ocupa, no museu imaginário do teatro atual, o lugar de uma obra-prima avassaladora” (O Teatro de Victor Garcia – A vida sempre em jogo” – Edições SescSP – 2012).

Mesmo já trabalhando como jornalista, que teve início em 1971 na Folha de S. Paulo, não abriu mão da ribalta, dirigindo grupos de teatro amador, como o Teatro de Ensaio do Telefônica Clube, com funcionários da antiga Telesp (Telecomunicações de São Paulo S/A), e o Grupo Teatral Faap, com alunos dessa faculdade. Nessas andanças, escreveu a peça “Toda Rainha Tem Seus Dias de Guerra”, encenada com o grupo da Telesp, sob sua direção.

Zedu reconhece que começou muito tarde na produção literária. Seu primeiro livro, “Na medida certa da boa educação”, escrito a quatro mãos com Jerson Dotti, foi editado em 2010, quando ele estava com 67 anos. Em 2012 lançou “40 Viagens e Um Roteiro”. Três anos depois foi a vez de “Sonhos em fuga – Contos Crônicas e Outras Histórias” ir para as livrarias e, em 2018 surgiu o “Doce Pássaro da Ilusão”, com 13 contos.

Conheça meus livros